domingo, 12 de dezembro de 2010

Feliz Natal!

O sentimento do dever cumprido oferece-me sempre uma sensação de Paz...
A todos, desejos sinceros de um Natal cheio de Paz (aromatizada com canela...).

Práticas e Modelos de Auto-Avaliação da BE - Reflexão Final

           No nosso país, e fruto da inexistência de tradição de práticas de avaliação sustentadas, a conotação associada à palavra Avaliação é predominantemente negativa.
          O Modelo de Auto-Avaliação das Biblioteca Escolares revela o lado positivo da avaliação, na medida em que se apresenta como “instrumento de melhoria que permite aferir o trabalho e o valor acrescido da Biblioteca Escolar”[i], transformando, deste modo, a avaliação numa prática positiva, necessária e fundamental à evolução, no que respeita à Educação em geral.
          Analisando a presente oficina de formação, e olhando, neste momento, para o seu todo, é altamente perceptível o valor (ou potencial valor) da Biblioteca Escolar face ao actual paradigma educacional, bem como a urgência em implementar o modelo de avaliação proposto, uma prática baseada em evidências.
          Efectivamente, as propostas de trabalho apresentadas obedeceram a uma estrutura muito coerente que permitiu fazer um diagnóstico aprofundado da realidade das nossas BE’s à luz dos novos desafios e oportunidades no contexto da mudança, elaborar um plano de implementação das práticas de avaliação, tendo presentes as problemáticas e conceitos implicados, os diferentes parceiros e agentes educativos, e ainda situar o trabalho da BE num contexto mais abrangente, através da análise dos relatórios de Avaliação Externa das Escolas, tarefa que nos alertou para a responsabilidade do professor bibliotecário, enquanto agente dinamizador e promotor da BE e do seu efectivo papel na melhoria dos resultados da aprendizagem, e consequente sucesso educativo.
          O rigor científico da selecção bibliográfica apresentada, bem como o acompanhamento sistemático e assertivo das formadoras, fizeram desta formação um momento de aprendizagem de elevada qualidade, alertando-nos para a necessidade de uma constante formação e actualização: o professor bibliotecário é, no actual paradigma educacional, líder de um processo com impacto directo no cumprimento dos objectivos e missão da escola.


[i] MAABE

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Livros e Leituras de Natal

Fazendo justiça ao nome escolhido para este espaço de partilha, e porque se aproxima o Natal... acaba de ser publicado, no Canadá, Présent(s) de Noel, uma obra que aborda a temática natalícia na literatura infanto-juvenil.


E para o público mais novo, não resisto a sugerir O Cavalinho de Pau do Menino Jesus e outros Contos de Natal, de Manuel António Pina.


O MAABE nas BE's António Feijó

No presente ano lectivo, o MAABE será aplicado nas nossas BE's, com incidência no domínio C: Projectos, Parcerias e Actividades de Abertura à Comunidade.

Numa perspectiva de partilha de boas práticas, apresento o "Lê para mim, que depois eu conto...", um projecto de dupla parceria: articulação com a família, e articulação inter-agrupamentos, uma vez que são quatro os agrupamentos a implementar o projecto: António Feijó, Freixo, Marinhas e Darque.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Descrição vs Avaliação

O olhar crítico que aqui nos foi pedido ajudou a clarificar a pertinência do MAABE: A Avaliação, enquanto condição para a melhoria, deve comprometer, apontando para a mudança.

http://www.scribd.com/doc/44718590?secret_password=20qtoznsx487tg79ja9d

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

MAABE: Metodologias de Operacionalização (Conclusão)

Cruzar o MAABE com os Relatórios de Avaliação da IGE deu-nos oportunidade de conhecer o lugar da BE na escola, e reconhecer o longo caminho que ainda temos que percorrer para que a BE seja, efectivamente um eixo aglutinador de aprendizagens e promotor de sucesso, com impacto nos resultados.